Tuga é o senhor

Um dos problemas dos portugueses é a falta de autoestima. Nos últimos anos, esse fraco amor-próprio é visível pela forma pouco digna com que nos apelidamos uns aos outros de “tugas”.

O termo virou moda. Há cadeias de restaurantes que vendem hambúrgueres tugas, blogues de jovens emigrantes com títulos como “Tuga em Londres”, sites de downloads (ilegais) que adoptam esta designação. No Rio de Janeiro existe um restaurante chamado Bacalhau do Tuga, a mascote da selecção nacional de futebol no Mundial de 2002 levava esta alcunha. E por aí adiante.

Aqui nos eixos Bairro Alto-Cais do Sodré e Chiado-Saldanha-Avenidas Novas é quase chique, dentro de uma certa classe com poder de compra, títulos do tesouro e pouco intelecto, afirmar com um sorriso nos lábios, à passagem por um automóvel mal estacionado: “É mesmo à tuga”.

Que me perdoem, mas falho em ver a piada ou a legitimidade na alcunha. Adoptar a designação de tuga parece-me tão adequado quanto os norte-americanos desatarem a chamar “gringos” – o nome por que são conhecidos quando atravessam a sua fronteira a sul – uns aos outros. Em Inglaterra, os alemães ainda são conhecidos por “krauts”, termo deveras depreciativo e provavelmente originário da palavra “sauerkraut”, ou mesmo por “boches”.

Todas estas alcunhas, criadas pelo “outro”, têm em comum serem originárias da guerra. O mesmo acontece como o vocábulo tuga, termo racista por que eram conhecidos os portugueses durante a guerra do Ultramar, e que visava contrapor ao vocábulo turra, que designava, entre os militares portugueses, os membros das resistências locais.

Parece-me natural e até lógico que estas alcunhas depreciativas existam. É da condição humana. Mas não deixa de ser estranho, e revelador, que nos adjectivemos a nós próprios dessa forma. Da última vez que me chamaram tuga, repeti violentamente o título desta crónica. Não contem comigo para estas bonomias.

[Texto publicado na edição de 7 de Agosto de 2015 do jornal Comércio do Seixal e Sesimbra. PDF aqui: http://content.yudu.com/Library/A3ueqt/Edio290/resources/index.htm?referrerUrl=http%3A%2F%2Ffree.yudu.com%2Fitem%2Fdetails%2F3491564%2FEdi—-o-290 ]

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s